Dia Nacional de Conscientização sobre a Esclerose Múltipla

Por OGS SAUDE | 31 de agosto de 2021

 

30 de agosto é o Dia Nacional de Conscientização sobre a Esclerose Múltipla. Criada em 2006, a data nasceu para informar a população, alertar para a importância do diagnóstico precoce e aumentar a visibilidade da Esclerose Múltipla, seus pacientes e os inúmeros desafios por eles enfrentados no dia a dia.

 

A esclerose múltipla (EM) é uma doença inflamatória crônica, e uma das doenças neurológicas mais comuns em adultos jovens, com incidência em pessoas de 15 a 50 anos de idade. No Brasil, estima-se que cerca de 35 mil pessoas convivam com a enfermidade.

 

Seja por motivos genéticos ou ambientais, o sistema imunológico começa a agredir a bainha de mielina (camada de gordura que envolve as fibras nervosas na substância branca do cérebro e na medula espinhal), comprometendo a função do sistema nervoso (cérebro e medula) ao atingir diversas funções ligadas ao trânsito de informações dos neurônios para o resto do corpo.

 

A Esclerose Múltipla não tem cura e pode se manifestar por diversos sintomas, como

fadiga intensa, depressão, fraqueza muscular, alteração do equilíbrio da coordenação motora, dores articulares e disfunção intestinal e da bexiga. Seu diagnóstico é feito através da história clínica detalhada, associada ao exame clínico e neurológico completos e confirmados por três exames laboratoriais complementares: Ressonância Magnética, Punção Lombar e Potencial Evocado.

 

 

Tratamento e Recomendações

 

Apesar de não existir uma cura para a EM, há tratamentos que buscam reduzir a atividade inflamatória e a ocorrência dos surtos ao longo dos anos. Tratar os sintomas é muito importante para a qualidade de vida desses pacientes. Por isso, é recomendado:

 

  • Manter a prática de exercícios físicos, pois eles ajudam a fortalecer os ossos, a melhorar o humor, a controlar o peso e contra sintomas como a fadiga;
     
  • Fisioterapia para os casos de movimentos comprometidos. Quando associada a determinados remédios, a fisio ajuda a reeducar o controle dos esfíncteres (músculos que controlam a eliminação de fezes e urina);

 

  • Nas crises agudas, é aconselhável que o paciente permaneça em repouso.