O que um médico generalista precisa fazer antes de encaminhar o paciente ao psiquiatra?

Por Igor Balta | 09 de setembro de 2021

 

Excluir causas orgânicas!

Sim, essa resposta que vem de imediato pode parecer óbvia à primeira vista.

Porém basta dar alguns plantões de porta/emergência que vemos na prática que não é tão simples assim.

Muitas vezes nos deparamos com um caso que julgamos ser psiquiátrico, como um transtorno de ansiedade, depressivo ou psicótico e logo fazemos alguma medicação sintomática e pedimos a avaliação da psiquiatria.

Porém, não podemos esquecer que esses sintomas do paciente, talvez tipicamente psiquiátrico num primeiro momento, pode ser secundário a alguma causa orgânica.

Quer exemplos simples?

- O que julgamos ser transtorno depressivo pode ser hipotireoidismo sintomático.

- O que julgamos ser transtorno psicótico pode ser delirium hiperativo em um idoso com alguma infecção.

- O que julgamos ser transtorno de ansiedade pode ser um tromboembolismo pulmonar.

Imagine o prejuízo que pode ser causado ao paciente se não for investigado de maneira correta e em tempo hábil!

Por isso, devemos sempre pensar além do óbvio e investigar, principalmente se o paciente não tiver um diagnóstico de base e for a primeira descompensação do quadro.

Além de realizar anamnese e exame físico completo, é importante solicitar laboratório, excluindo doenças infecciosas, alterações metabólicas, doenças crônicas e em alguns casos selecionados até exames de imagem, como tomografia de crânio!

 

Após a investigação inicial e descartadas às causas orgânicas podemos proceder com tranquilidade na avaliação do psiquiatra!

Até a próxima!

 

 

_____________________

E aí gostou?

Você é médico e gostaria de trabalhar conosco?
Fale agora com nossa equipe de Operação.  

Whatsapp: (12)99185.4804 (Rafael)