Entrevista com a Dra. Valquiria Roveran, Ginecologista

Por OGS SAUDE | 28 de outubro de 2021

A Campanha do Outubro Rosa está acabando, mas a luta continua pelos próximos 365 dias.

Hoje OGS traz uma entrevista com a Dra. Valquiria Roveran.

A Dra Valquiria é Graduada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. Especialista em Ginecologia e Obstetrícia, com Mestrado e Doutorado pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, docente do curso de Medicina da Universidade Anhembi Morumbi e referência técnica da Saúde da Mulher da Prefeitura de São José dos Campos

 

OGS:  Como um médico, seja na porta ou enfermaria, pode orientar a população no rastreio do câncer de mama?  Qual exame indicar e para quais pacientes? Lembrando sempre que essa investigação é ambulatorial, correto?

Dra Valquiria: Pela Sociedade Brasileira de Mastologia, o rastreamento do câncer de mama é recomendado para todas as mulheres a partir dos 40 anos de idade, com a realização da mamografia anualmente. O médico generalista pode solicitar o exame ou orientar a paciente a agendar consulta com ginecologista ou procurar uma unidade básica de saúde (UBS).

 

OGS:   Uma paciente realizou mamografia em uma campanha e o resultado foi BI-RADS 4 ou 5, ela procurou sobre isso na internet e viu que pode ser maligno, chegou no pronto socorro e me pediu para orientá-la. O que devo fazer? pra onde encaminhar para que ela receba a assistência mais rápido possível?

Dra Valquiria:   A paciente deve agendar consulta com um mastologista de convênio ou procurar uma UBS. O atendimento nesses casos é priorizado.

 

OGS:   Qual a probabilidade de cura de um paciente com diagnóstico de neoplasia maligna de mama? Tem relação com o tamanho do nódulo?

A probabilidade de cura é de 95% quando o diagnóstico é feito precocemente, ou seja, em exame de rotina com nódulos ainda não palpáveis. Daí a importância da mamografia de rotina.

 

OGS: Quais os principais fatores de risco para câncer de mama?

Dra Valquiria:   Os principais fatores de risco são: Idade, principalmente a partir dos 50 anos; fatores hormonais como menopausa tardia (após os 55 anos), primeira gravidez após os 30 anos, nuliparidade, uso de contraceptivos orais e terapia de reposição hormonal pós-menopausa; fatores comportamentais incluem a ingesta de bebida alcoólica, sobrepeso e obesidade, inatividade física e exposição à radiação; fatores genéticos com casos de câncer de mama ou ovário em parentes de primeiro grau.

 

OGS:  Sou profissional da área da saúde e fui diagnosticada com câncer de mama. Preciso parar de trabalhar?

Dra Valquiria:   O afastamento do trabalho vai depender do estadiamento do câncer e do tratamento a ser realizado. Geralmente, há necessidade de afastamento temporário durante a recuperação cirúrgica e se houver necessidade de radioterapia ou quimioterapia, podendo retornar ao trabalho após o ciclo de tratamento.

 

OGS:  O tratamento para câncer de mama no Brasil é gratuito? Consigo pelo SUS?

Dra Valquiria:    Existe o tratamento com cobertura pelos convênios e tratamento gratuito pelo SUS. Os atendimentos dos casos oncológicos são priorizados.


_____________________

Você é médico e gostaria de trabalhar conosco?
Fale agora com nossa equipe de Operação.  
Whatsapp (12)99185.4804 (Rafael)